"No próprio dia da batalha, as verdades podem ser pinçadas em toda a sua nudez, perguntando apenas;
porém, na manhã seguinte, elas já terão começado a trajar seus uniformes."

(Sir Ian Hamilton)



terça-feira, 31 de março de 2009

INVASÃO MONGOL DA RÚSSIA (1223-1240)

.




A invasão mongol da Rússia foi uma invasão empreendida por um vasto exército de nômades mongóis, iniciada em 1223, contra o estado da Rússia Kieviana, a essa altura dividida em vários principados. Tal invasão precipitou a fragmentação da Rússia Kieviana e influenciou o desenvolvimento da História Russa e possibilitou a ascensão do principado de Moscou.


Ataque de 1223 e a Batalha do rio Kalka

Ao mesmo tempo em que se fragmentava, a Rússia Kieviana sofreu a inesperada invasão estrangeira vinda de regiões misteriosas do Extremo Oriente. Depois das campanhas contra o Império de Khwarezm, em 1221, um exército mongol liderado pelos generais Jebe Noyon e Subedei, em uma campanha de reconhecimento para futuras conquistas, passou pelo norte do Irã e atravessou os montes Cáucaso, derrotando exércitos georgianos, polovtsianos, khazares e cumanos. No final de 1222 os dois generais mongóis partiram juntos em direção ao oeste, através das estepes até o Dniester.

Para conter a invasão dos mongóis, Mstislav o Audaz e Mstislav Romanovich o Velho formaram uma liga, da qual também aderiram príncipes de outras províncias russas tais como Kursk,Kiev, Chernigov, Volínia, Rostov e Suzdal.

No dia 31 de maio de 1223, um exército mongol com 25 mil homens, derrotou os exércitos dos vários principados russos na grande batalha do rio Kalka (1223), a qual permanece até hoje na memória do povo russo. A partir dessa derrota, o país encontrava-se à mercê dos invasores, porém, os mongóis se retiraram e somente voltariam treze anos depois.


Arqueiros mongóis em ação na Batalha do Rio Kalka (1223)




Invasão de Batu Khan (1236-1240)

A grande horda mongol de aproximadamente 150 mil arqueiros montados, comandada por Batu Khan e Subedei, cruzou o Rio Volga e invadiu a Bulgária no outono de 1236. Depois de um ano de luta, os mongóis venceram a resistência dos búlgaros do Volga, dos Kypchaks e dos Alanos.

Em novembro de 1237, Batu Khan enviou seus embaixadores para a corte de Yuri II de Vladimir exigindo sua submissão. No mês seguinte Ryazan foi cercada. Após seis dias de sangrenta batalha, a capital foi totalmente aniquilada, para nunca mais ser restaurada. Alarmado pelas notícias, Yuri II enviou seus filhos para deter os invasores, porém eles logo foram derrotados. Kolomna e Moscou foram incendiadas e, no dia 4 de fevereiro de 1238, Vladimir foi cercada. Três dias depois a capital de Vladimir-Suzdal foi tomada e queimada. A família real pereceu no incêndio, enquanto que o grão-príncipe se retirou para o norte. Cruzando o Volga, ele reuniu um novo exército, que foi totalmente exterminado na batalha do rio Sit em 4 de março.

Em seguida Batu Khan dividiu seu exército em colunas menores, as quais arrasaram quatorze cidades russas: Rostov, Uglich, Yaroslavl, Kostroma, Kashin, Ksnyatin, Gorodets, Galich, Pereslavl-Zalessky, Yuriev-Polsky, Dmitrov, Volokolamsk, Tver e Torzhok. A mais difícil de ser capturada foi a pequena cidade de Kozelsk, cujo príncipe-menino Titus e seus habitantes resistiram aos ataques mongóis por sete semanas. A historiografia russa registra que, ao saber da aproximação mongol, toda a cidade de Kitezh com todos os seus habitantes submergiu em um lago, que existe até os dias atuais. As únicas grandes cidades que escaparam da destruição foram Novgorod e Pskov. Os russos que migraram da região sul do país para escapar dos invasores se deslocaram em sua maioria para o nordeste, para as regiões de floresta com solos pobres entre a área norte dos rios Volga e Oka.




No verão de 1238, Batu Khan e Subedei devastaram a península da Criméia e pacificaram Moldávia. No verão do ano seguinte, Chernigov e Pereyaslav foram saqueadas. Após muitos dias de cerco, a horda atacou Kiev em dezembro de 1239. Apesar da forte resistência de Danilo da Galícia, Batu Khan tomou duas de suas principais cidades: Halych e Volodymyr-Volynskyi.

Após anexarem a Rússia a seus domínios, os mongóis então resolveram "alcançar o último mar" e invadiram, em 1241, a Polônia, a Romênia e Hungria. Depois disso, Subedei considerou planos para atacar o norte da Itália, Áustria e os estados germânicos, porém teve de recuar devido à morte de Ogadei Khan.


O período do jugo tártaro-mongol

Nesse período os invasores vieram para ficar, e construíram para si uma capital chamada Sarai, no baixo Volga, próximo ao Mar Cáspio. Aí estava o comandante supremo da Horda de Ouro, como era chamada a porção noroeste do Império Mongol, fixando seus quartel-general dourado e representando a majestosidade de seu soberano, o grande Khan, que viveu com a Grande Horda no vale do Orkhon do Amur. De lá subjugaram a Rússia durante séculos.

O termo o qual esta sujeição é comumente chamada, o jugo tártaro ou mongol, sugere idéias de uma terrível opressão, porém, na realidade, estes nômades invasores vindos da Mongólia não eram tão cruéis e opressivos. Em primeiro lugar, nunca colonizaram os principados russos, e não tinham muito contato com os habitantes. Diferente da dominação mongol sobre a China e o Irã, o domínio mongol sobre os principados russos era indireto, com os príncipes russos pagando tributos anuais à Sarai.

Em termos de religião os mongóis eram extremamente tolerantes. Quando surgiram pela primeira vez na Europa, eram xamânicos e, naturalmente, não nutriam fanatismo religioso; Mesmo quando adotaram o Islamismo continuaram tolerantes como antes, e o Khan da Horda de Ouro, Berke, o primeiro a se tornar muçulmano, incentivou os russos a fundarem um bispado cristão em sua própria capital. Nogai Khan, meio século depois, se casou com a filha do imperador bizantino e deu sua própria filha em casamento a um príncipe russo, Teodoro o Negro.

Alguns historiadores modernos russos acreditam que não houve uma invasão geral. De acordo com essa visão, os príncipes russos fizeram uma aliança defensiva com a Horda objetivando repelir os ataques dos aguerridos Cavaleiros Teutônicos, que se mostraram um perigo muito maior à religião e cultura russa.


Cidadela fortificada de Mstislav


O domínio tártaro teve também seu lado negativo. Como a grande horda de nômades estava acampada na fronteira, o país encontrava-se a mercê de invasões por uma força esmagadora de cruéis saqueadores. Tais invasões não eram frequentes porém, quando ocorriam, causavam uma incalculável devastação e grande sofrimento. Nestes intervalos as pessoas tinham de pagar um tributo estabelecido. A partir de 1259 os impostos passaram a ser regulados por um censo de população e, finalmente, a coleta dos tributos passou a ser encargo do príncipe local.


Influências

A influência da invasão mongol nos territórios da Rússia Kieviana foi sem precedentes. Centros tradicionais como Kiev nunca se recuperaram da destruição do ataque inicial. A República de Novgorod continuou a prosperar. Novos centros prosperaram sob o jugo mongol, tais como Moscou e Tver.


Armamento russo do século XIII


Historiadores debateram a influência a longo prazo do domínio mongol na sociedade russa. Os mongóis foram culpados pela destruição da Rússia Kieviana, a fragmentação da antiga nacionalidade russa em três componentes e a introdução do conceito de "despotismo oriental" na Rússia. Porém alguns historiadores concordam que a Rússia Kieviana não era uma entidade homogênea, seja no nível político, étnico ou cultural, e que os mongóis apenas aceleraram o processo de fragmentação que começou antes da invasão. Outros acreditam que o jugo mongol teve um papel importante no desenvolvimento da Rússia como um Estado. Sob domínio mongol Moscóvia, por exemplo, desenvolveu sua rede postal, censo, sistema fiscal e organização militar.

Argumenta-se, ainda, que Moscou, e subsequentemente a Rússia, não teriam se desenvolvido sem a destruição mongol da Rússia Kieviana. Ademais, o jugo mongol sobre os restos de Kiev e os principados sobreviventes como o de Novgorod, forçaram tais entidades a olhar para o Ocidente em busca de aliados e tecnologia. Igualmente, rotas comerciais vindas do Leste como desdobramentos das "Rotas da Seda" chegaram aos povos russos, constituindo um centro de comércio de ambos os mundos.

Em suma, a influência mongol, de um lado destrutiva ao extremo para seus inimigos, teve um papel significativo a longo prazo no surgimento da Rússia moderna.

.

4 comentários:

  1. Cara, simplesmente perfeita sua descrição da invasão mongol, as imagens, o aprofundamento e as consequencias para a historia moderna.

    Espero que continue com seu site, pois ele é uma referência em história como um todo.

    Parabenizo-o pelo conhecimento disponibilizado.

    ResponderExcluir
  2. Gostaria de saber se possível, como foi a resistência russa, e como se deu a expulsão, se ela realmente houve, dos mongois do território russo.

    Pelo visto foi um massacre sem precedentes do povo russo e eslavo como um todo... Agradeço a atenção.

    ResponderExcluir
  3. muito bom este texto!! ajudou bastante!!
    obrigada

    ResponderExcluir