"No próprio dia da batalha, as verdades podem ser pinçadas em toda a sua nudez, perguntando apenas;
porém, na manhã seguinte, elas já terão começado a trajar seus uniformes."

(Sir Ian Hamilton)



sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

UMA ARMA UNIFORME CONTRA OS INIMIGOS

.

Muitos consideram que a história do uniforme militar na Rússia teve início com o czar Pedro I, o Grande. No entanto, em busca de maior unidade e eficiência, tropas russas do século 16 já contavam com soldados uniformizados.

Por Aleksandr Verchínin


O uniforme militar não tem como objetivo servir à moda. É claro que o soldado deve ter um aspecto impecável, mas também não deve se destacar por sua aparência – aqui a moda se sujeita a leis diferentes das da vida social. Como um elemento integrante do Exército regular, o uniforme disciplina, cria um elo especial entre os soldados e, em última instância, introduz um sistema especial de diferenciação.

Na Idade Média não existia a noção de vestimenta militar uniformizada. Todo mundo vestia o que calhava. Quanto mais de destacava a armadura do cavaleiro, maior era o seu status. Já o soldado moderno, ganha não por suas qualidades individuais, mas como parte de uma formação militar – justamente a união que o uniforme simboliza.

Na Rússia, muitos consideram que a história do uniforme militar nacional teve início com Pedro I, o que não é exatamente verdade. Os padrões elaborados para a vestimenta de todos os soldados do Exército apareceram somente no início do século XVIII. Porém, eles foram introduzidos em solo já preparado.

Até o século XVII, o Exército russo, assim como a maioria das forças europeias, não tinha um padrão único para vestes militares. A espinha dorsal dos exércitos da época tinha a seguinte configuração: milícia nobre montada.

O pomeschik (senhor feudal na Rússia) recebia um lote de terra do Estado e, com a renda dela, tinha que se armar e participar de campanhas militares. Ele tinha que cumprir a norma em “termos equinos, humanos e bélicos”. Assim, equipavam-se dentro de suas possibilidades e do modo que considerasse aceitável.

É evidente que não se pensava aqui em nenhuma uniformização da roupa militar: os coloridos caftans russos (casaco até os joelhos abotoado pela frente) eram vistos junto a roupas de couro tártaras e armaduras polonesas obtidas como troféu de guerra. Esse tipo exército apresentava baixo desempenho em combate.


Moda streltsi

Em meados do século XVI, Ivan, o Terrível, decidiu formar as primeiras forças armadas regulares da Rússia. Surgiriam, então, os regimentos de streltsi (“flecheiros”), que contavam com 3.000 homens. Eles combatiam com um novo tipo de arma, os mosquetes manuais, vivem em quartéis nos arredores de Moscou, passaram a receber uma quantia regular e ganharam uniformes: um caftan com um corte específico e sem cor definida nos primeiros tempos. Registros de época revelaram a existência de caftans vermelhos, amarelo e azuis.

Streltsi russos


Com a aproximação da virada do século, a cor também foi uniformizada. Em 1606, um observador estrangeiro descreveu o regimento de infantaria de streltsi “com caftans de lã vermelhos e uma faixa branca no peito”. Nessa época, já havia um destacamento de streltsi montados, porém igualmente vestidos.

No início do século XVII, surgiu um tipo único de uniforme militar entre os streltsi russos e que se manteve inalterado até Pedro I. Era basicamente composto por um caftan longo abotoado da direita para a esquerda. O número de casas da abotoadura variava dependendo do regimento, e as dos oficiais eram feitas com fios de prata ou ouro. A cor do chapéu, botas e caftan também variava conforme o regimento.

Por cima do caftan era usado um zipun (tipo de casaco) da mesma cor. Na cabeça vinha um gorro alto de pele, geralmente valiosa, e na parte da frente do uniforme exibiam toda uma variedade de emblemas em ouro ou moedas.

Os oficiais carregavam consigo um tipo especial de lança chamado protazan. Era pela cor da empunhadura da protazan que se distinguiam os diferentes títulos militares. Um elemento essencial do equipamento de soldados de baixo escalão era a faixa branca que passava por cima do ombro e que guardava cargas de pólvora e uma sacola para as balas.


Disputa de estilo

As primeiras representações de uniformes russos foram feitas por ilustradores estrangeiros em meados do século XVII. “Os caftans deles”, escreveu um austríaco ao serviço do Exército russo, “eram bastante vistosos: em um regimento eram confeccionados com lã verde clara, e em outra, verde escuro, abotoados no peito, segundo os costumes russos, com cordões de ouro”.

Soldado russo em 1720


Segundo a opinião pública, a primeira pessoa a introduzir um uniforme militar unificado para seus soldados foi o inglês Oliver Cromwell, em 1645. A moda teria então se espalhado 30 anos mais tarde por todo o continente a partir da França.

Poucas pessoas sabem que na época descrita pelo escritor Alexandre Dumas em seu romance “Os Três Mosqueteiros”, os guardas reais franceses ainda não usavam a sua famosa capa azul com a cruz. Na realidade, ela foi introduzida apenas 50 anos mais tarde, na década de 1670, quando Charles d'Artagnan, o protótipo real do herói de Dumas, já não estava mais vivo.

Por isso, é de se imaginar que o caftan dos streltsi russos esteja entre os primeiros tipos de uniformes militares na Europa – ou até mesmo seja o primeiro de todos.

Fonte: Gazeta Russa


Um comentário:

  1. Grato por suas valiosas lições, com informações sempre úteis.

    ResponderExcluir